BUSCA   Line   Line  
Icon Facebook Icon Twitter Icon Linkedin Icon Instagram Icon Youtube
Idioma:         
Logo Banco da Família

HOME
Line
QUEM
SOMOS
Line
NOSSOS
PRODUTOS
Line
BLOG
Line
TRABALHE
CONOSCO
Line
ONDE
ESTAMOS
Line
DÚVIDAS
FREQUENTES
Line
FALE
CONOSCO
Line
OUVIDORIA
Icon Facebook Icon Twitter Icon Linkedin Icon Instagram Icon Youtube
Idioma:         

BLOG

Line

TODAS AS INFORMAÇÕES DO BANCO DA FAMÍLIA EM UM SÓ LUGAR

 
22 de agosto de 2019
Categorias Notícias

Acelerados pelas fintechs, bancos locais remodelam estratégias de atendimento

Estratégias de atendimento digital, inovação em produtos e marketing estão entre as ações adotadas pelas instituições financeiras locais.| Foto: Mariana Honesko/Divulgação.
Na disputa entre fintechs (financeiras digitais) e os “bancões” tradicionais, quem sai no maior prejuízo são os bancos locais, instituições menores que estão correndo atrás e querem mostrar que também estão surfando na onda de modernização do atendimento que prestam aos seus clientes.

No final do último semestre, instituições tradicionais como o Paraná Banco e o Banco Bari, por exemplo, anunciaram mudanças significativas em suas estratégias para se adaptar a forte concorrência.

Investimento em marketing do Paraná Banco foi quatro vezes maior em 2019 do que no ano passado. | divulgação.
Renovação e investimentos
Com sede em Curitiba, o Paraná Banco anunciou em julho, quando completou 40 anos, um investimento de R$ 20 milhões em marketing, valor quatro vezes maior do que vinha aplicando até então nessa área. Desse montante, R$ 16 milhões são destinados apenas ao marketing digital.

Prometendo abrir contas online em menos de 10 minutos o banco curitibano também criou as submarcas PB Consignado e Paraná Banco Investimentos. Mirando na contratação de empréstimo consignado pela internet, a instituição está se fiando na credibilidade que tem na praça e na experiência de mercado para convencer os clientes que tradição tem, sim, peso no mercado.

Também pensando em diversificar seus produtos e trazer o banco para o digital, o antigo Banco Barigui, nascido há 24 anos em Curitiba, anunciou no mesmo mês sua transição de marca, alterando o nome para Banco Bari. Olhando para o mercado nacional, a instituição ousou ao lançar um cartão de crédito com limite de R$ 1 milhão. A garantia é um imóvel.


Banco inovou ao lançar produto inédito no mercado e reformular a própria marca.| divulgação.
O presidente do Banco Bari, Rodrigo Pinheiro, diz que a modernização está aliada a expertise da instituição no mercado imobiliário. “O grupo securitizou mais de R$ 6 bilhões de crédito imobiliário, originado e de terceiros”, enumera Pinheiro.

“Aproveitamos a nossa ampla experiência na modalidade de empréstimo com garantia de imóvel, junto com a excelência operacional, para trazer os benefícios desse crédito para dentro de um cartão, unindo praticidade, tecnologia e inovação”, justifica.
Novas bases

Para 2019 a instituição calcula um crescimento de 34% no número de municípios atendidos em relação ao ano passado. Foto: Mariana Honesko/Divulgação.
Na briga pelo mercado local de crédito, as financeiras regionais também estão de olho nas fatias de mercado, uma das outras. O catarinense Banco da Família, por exemplo, que atua no Paraná, em União da Vitória, desde o ano passado, também já anunciou expansão para outras quatro cidades do interior.

Especializada em microfinanças e com uma carteira de 20 mil clientes sulistas, a organização pretende iniciar o atendimento em Bituruna, Cruz Machado, General Carneiro e São Mateus do Sul, até o final desse ano.

A estratégia comercial é simples. Olhando para famílias de menor renda, que não tem acesso ao sistema financeiro tradicional, o banco se estabelece em cidades com os menores índices de desenvolvimento humano, não atendidas pelas instituições financeiras tradicionais. Munidos de celulares, tablets e internet, agentes de crédito da instituição são treinados para ir até a casa das famílias e oferecer, digitalmente, o atendimento bancário.

“Nestes municípios, o nosso plano é fazer uma operação remota. Capacitamos pessoas que buscam, presencialmente, novos clientes e, depois de gerado um volume de negócios expressivo, levamos uma sede física”, explica a presidente da instituição, Isabel Baggio.

“Não queremos de forma alguma perder o nosso DNA que é o contato presencial e personalizado com as famílias, mas não pretendemos ficar atrás quanto ao uso da tecnologia. Nosso desafio é usar esses recursos para acelerar o processo de atendimento e ajudar nossa expansão na região sul do país”, arremata.”

Fonte: https://www.gazetadopovo.com.br/vozes/parana-sa/acelerados-pelas-fintechs-banco-locais-remodelam-estrategias-de-atendimento/