BUSCA   Line   Line  
Icon Facebook Icon Twitter Icon Linkedin Icon Instagram Icon Youtube
Idioma:         
Logo Banco da Família

HOME
Line
QUEM
SOMOS
Line
NOSSOS
PRODUTOS
Line
BLOG
Line
TRABALHE
CONOSCO
Line
ONDE
ESTAMOS
Line
DÚVIDAS
FREQUENTES
Line
FALE
CONOSCO
Line
OUVIDORIA
Icon Facebook Icon Twitter Icon Linkedin Icon Instagram Icon Youtube
Idioma:         

BLOG

Line

TODAS AS INFORMAÇÕES DO BANCO DA FAMÍLIA EM UM SÓ LUGAR

 
27 de outubro de 2017

Superação e Sucesso

 

CLENIR MARIA DE MORAES SPIECKER é o retrato da mulher brasileira empreendedora, que enfrenta com garra e muito trabalho as dificuldades impostas, vencendo as adversidades e abrindo caminho para que a família conquiste uma melhor qualidade de vida. Acompanhe aqui a trajetória de uma vencedora, que encontrou no Banco da Família o apoio necessário para fazer de sua atividade um negócio lucrativo, melhorando a qualidade de vida de sua família e proporcionando trabalho e renda para mais de 30 pessoas, em épocas de safra do morango, na região de Lages (SC). Vencedora do Concurso “Talentos do Programa de Microfinanças de SC 2017”, promovido pela AMCRED – Associação das Organizações de Microcrédito e Microfinanças de Santa Catarina, sua história é uma inspiração!

Durante quase 20 anos morando no pequeno município de Campo Erê, Clenir e sua família enfrentavam imensas dificuldades. Com seis filhos, Clenir e seu esposo, Alcidio Tristão Spiecker moravam de favor e não conseguiam progredir. Quando um amigo da família os convidou para auxiliar no plantio de pimentão, mudaram-se para Caçador onde permaneceram por 10 meses – mas a safra não foi muito produtiva e resolveram retornar. Foram informados pelo então empregador que um produtor de morangos, da região de Lages precisava de uma família grande para trabalhar, já que o cultivo do fruto exige bastante mão de obra. “Nós resolvemos mudar novamente. Chegamos aqui e aprendemos tudo do zero, porque a gente não conhecia nem plantação de morango e nem a cidade. Trabalhamos por quatro anos, fizemos economia de oito mil na época, conseguimos comprar um carro e resolvemos trabalhar por conta própria, também plantando morango”, lembra Clenir.

Eles já conheciam o jeito de trabalhar e como fazer, mas se defrontaram com uma dificuldade: perceberam que precisariam de um apoio financeiro para realizar o seu sonho. “Vendemos aquele carro que a gente tinha, alugamos uma casa e também um sítio para começar a plantação. Iniciamos com cinco mil pés de morango e cinco mil pés de tomate, mas pra seguir adiante a gente precisava de apoio financeiro, ressalta Clenir”, dizendo que foi então que conheceram o Banco da Família.

“Fomos informados que o Banco da Família emprestava dinheiro para pessoas assim como a gente. Fui lá pedir a ajuda para eles, fiz uma entrevista e financiamos cinco mil reais na época. Aquele dinheiro ajudou muito. Buscamos outros recursos em outros lugares mas era muito mais caro. O Banco da Família acreditou na gente. Até os agrônomos diziam que nesse lugar não funcionava plantar morango porque era muito frio, apesar de a gente já ter trabalhado com isso e ter muito resultado. Foi no Banco da Família que a gente encontrou recurso”, relembra.

Algumas dificuldades apareceram no meio do caminho, como um comprador que foi à falência após realizar uma compra muito grande, fazendo com que Clenir precisasse reorganizar-se financeiramente para quitar a dívida. “Ele me pagou tudo, mas foi difícil porque tinha que tirar de outro lugar para cobrir o rombo. Foi então que no Banco da Família me informaram que também tinha troca de cheques e que os juros eram baratos, o que ajudou bastante”, relembra.

Superadas as dificuldades, a família de Clenir é hoje um exemplo de sucesso no ramo e na região. “Graças a Deus já melhoramos muito nossa renda familiar. Meus filhos estudaram, são todos empregados e já cheguei a empregar 30 pessoas na época da safra do morango. Compramos casa, trator e muitas coisas. Foi uma mudança de 100% na nossa vida”, reforça Clenir, lembrando a importância do Banco da Família na sua caminhada. “Foi onde a gente encontrou apoio e confiança e onde até hoje continuamos. Acho que desde o início das atividades do Banco da Família, eu sou cliente deles. E estamos indo muito bem”.