BUSCA   Line   Line  
Icon Facebook Icon Twitter Icon Linkedin Icon Instagram Icon Youtube
Idioma:         
Logo Banco da Família

HOME
Line
QUEM
SOMOS
Line
NOSSOS
PRODUTOS
Line
BLOG
Line
TRABALHE
CONOSCO
Line
ONDE
ESTAMOS
Line
DÚVIDAS
FREQUENTES
Line
FALE
CONOSCO
Line
OUVIDORIA
Icon Facebook Icon Twitter Icon Linkedin Icon Instagram Icon Youtube
Idioma:         

BLOG

Line

TODAS AS INFORMAÇÕES DO BANCO DA FAMÍLIA EM UM SÓ LUGAR

 
27 de outubro de 2017
Categorias Quem faz o BF

Quem Faz o BF: Ludmila Ditzel Amarante

1 – RH – Conte como foi sua trajetória no Banco da família durante estes 5 anos.

R: Iniciei meu trabalho no Banco da Família no dia 22/03/2011, é com grande orgulho que compartilho a minha história de superação. A instituição me deu a maior oportunidade de mudança para a minha carreira profissional. Quando encaminhei o meu curriculum à vaga de agente de crédito tinha como pré-requisito ter CNH e veículo próprio. Adivinhem? Eu nem sabia dirigir, e muito menos tinha veículo próprio. Mas a minha força de vontade era muito maior, pois eu sabia que aquela oportunidade seria única em minha vida, na época tive o apoio da minha Avó, (que não está mais presente entre nós), do meu pai, e da minha tia, que ambos moram em Curitiba. A agência de Curitibanos estava passando por um processo de mudança de posto de atendimento para agência.

Eu assumi uma carteira de valor baixo acredito que tinha no máximo R$ 4.000.00 emprestados, mas o meu maior objetivo era poder administrar e conseguir alcançar o nível máximo de carteira. E foi assim que iniciei atendendo os meus clientes a pé, entre um cliente e outro eu fazia panfletagens e captações, divulgando as nossas linhas de crédito.

Não foi fácil, e não é até hoje, pois para tudo em nossas vidas devemos traçar metas e objetivos, trabalhar para poder conquistar. Mas posso dizer que o resultado do meu trabalho é amar esse mundo empreendedor, poder fazer parte dessa história de transformação social, acompanhando nossos clientes, podendo ajudar as famílias dentro da nossa missão.

Hoje a minha carteira tem R$ 1.581.501,10 emprestados, procuro manter uma carteira saudável, no último mês fechou com 2,55% mora, e risco 0,04%. Procuro sempre deixar os nossos clientes cientes do nosso trabalho diferenciado, e a importância do comprometimento dos pagamentos pontuais.  

2 – RH – Fale como é para você exercer a função de agente de credito. O que mais te marcou nesta função?

R: Trabalhar como agente de crédito é um aprendizado diário, pois temos contato direto com histórias de superação da vida dos nossos clientes, pessoas empreendedoras, que nos provam que a vida não tem limite. Através do nosso trabalho podemos contribuir com essas histórias que necessitam de um apoio financeiro com taxas de juros menores e de um atendimento personalizado. Também contribui com o nosso crescimento pessoal e profissional, pois na nossa rotina diária temos também a oportunidade de conhecer as atividades de diferentes ramos, o que considero uma experiência grandiosa, pois é muito amplo o conhecimento adquirido nesse mundo empreendedor.

3 – RH – Quais as mudanças na instituição que você percebeu ao longo deste tempo?

R: Neste período posso relatar uma Instituição em pleno crescimento e desenvolvimento, inúmeras mudanças, para poder continuar a atender a demanda das solicitações de créditos, com uma melhor qualidade e agilidade no serviço prestado. Confesso que no início não era acostumada, tinha um pouco de dificuldade para me adaptar, mas hoje entendo que todas as mudanças realizadas são para poder alcançar os objetivos e metas do Banco da Família.

 4 – RH – Por que você esta no BF até hoje?

R: A 5 anos e 9 meses o Banco da Família, acreditou no meu potencial, sou eternamente grata a oportunidade, hoje estou concluindo o meu curso superior e outras inúmeras conquistas que pude realizar através do meu trabalho como: conquistas monetárias, de mobiliar a minha casa, carro próprio, e fazer a minha viagem dos sonhos de avião. E a conquista do reconhecimento e respeito dos clientes e das pessoas que nos abordam na rua, sabendo que trabalhamos em uma Instituição séria, que atua na melhoria da qualidade de vida, como agente de transformação social na vida de seus clientes e colaboradores, através dos benefícios que nos proporciona.

5 – RH – Como é pra você administrar uma carteira com mais de 1,5 milhões de reais e estar no 4º nível de remuneração variável? Qual sua estratégia?

R: É um grande desafio, mas se cheguei até aqui é porque gosto de desafios, e principalmente, de ser reconhecida pelo trabalho que realizo.  O trabalho deve ser realizado diariamente, liberações para manter valor de carteira, ações para captar novos clientes, e cobrança para manter uma carteira saudável. Tenho que liberar uma média de R$ 190.000,00 mês, para poder obter o crescimento esperado.

Estar no nível 4 é um dos sonhos que pude realizar na minha história do BF, com grandes desafios, mas hoje não tenho dúvidas que valeu, e vale muito a pena, visto a nossa camisa com muito amor e orgulho pelo que faço.

6 – RH – O que significa a missão do BF para você?

R: Trabalhar com a realidade de muitas famílias que trabalham para poder pagar suas despesas básicas mensais, as quais têm muitos planos e sonhos. O que falta a eles é alguém acreditar e confiar para poder auxiliar na busca desses objetivos. E é isso o que faço através do BF, atuando como agente de transformação social.

7 – RH – Qual a mensagem que você deixa para os colaboradores que estão iniciando na nossa instituição?

R: Gostaria que todos que tiverem acesso a este depoimento absorvam algo para sua carreira, pois ninguém nunca falou que vai ser fácil, desafios irão surgir, mas temos certeza que estamos no caminho certo, através de um trabalho em equipe, pois sozinhos não vamos conseguir chegar a lugar algum, e com toda certeza, nosso serviço é reconhecido e recompensado. Vale muito a pena poder fazer parte da história do Banco da Família, que mudou a minha vida, agregando conhecimentos, tornando sonhos em realidade.

8 – O que o BF contribuiu na sua vida pessoal?

R: O conhecimento que isso não tem valor monetário. O incentivo a voltar e terminar a minha faculdade de Administração, que já estou na reta final, a conquista de muitos bens materiais, o orgulho da minha família, e uma das últimas conquistas, foi uma viagem dos meus sonhos nas minhas férias neste ano de 2016 fechando com chave de ouro.

9 – Quais são seus planos futuros? Profissional e pessoal.

R: Poder continuar a minha carreira na área do microcrédito, fazer uma pós-graduação, quem sabe em 2017, mais uma viagem, fazer uma festa de casamento, pois hoje moro junto com meu companheiro e incentivador Luiz, mas ainda não oficializamos a nossa união, e quem sabe até um filho futuramente. Sou cheia de sonhos, planos e objetivos, e graças a nosso bom Deus sou abençoada por todas as minhas conquistas.

10 – Ludmila, o que você gostaria de dizer a equipe do Banco da Família? 

R: Não posso deixar de agradecer a equipe do Banco da Família, que acredita em cada um de seus colaboradores, investe em treinamentos, oferece benefícios para auxiliar e incentivar o nosso trabalho. Preocupa-se com o bem estar, e satisfação de todos nós. Para trabalharmos motivados e com segurança.

Em especial as minhas colegas de trabalho, e a Gerente Cristiane, que acreditou em mim, no momento em que eu mais precisava, hoje posso dizer que sou uma pessoa realizada profissionalmente.